uma inspiração

No contexto do projeto Nosso Espaço, busquei encontrar uma forma de, para além do aspecto pragmático das intervenções e planejamentos, buscar uma forma de sutilizar o olhar das crianças com relação ao trabalho e inspirar um olhar elevado para o processo de que estamos vivendo. Como fazer isso? De maneira indireta, comecei a trabalhar uma história associada a um poema encenado, que traz a imagem de Francisco, um jovem de muitas habilidades que recebeu de presente uma terra onde pôde constituir o seu cantinho de vida e beleza. Aqui, um trechinho do poema.

 


Coro
Em busca de uma terra pra morar,
um chão em que pudesse cultivar,
Francisco seu cantinho construiu;
amor e persistência ele uniu
pra tudo com cuidado embelezar.

Francisco
Preciso desta terra pra viver,
pois nela meu sustento vai crescer.
As plantas que podem me alimentar,
preciso de água boa pra regar,
do sol que vem o mundo aquecer,
do ar que nos permite respirar.

Coro
Com muito amor, Francisco trabalhou
e amigo de todos se tornou:
pessoas, plantas e animais,
considerava a todos seus iguais.
Enquanto trabalhava, o seu cantar
se espalhava alegre pelo ar.

 


 

Os ensaios da peça-poema, em paralelo ao trabalho concreto do projeto, já tem nos rendido inspirações de fato. Não tinha nos ocorrido antes, mas em meio aos ensaios nos ocorreu: por que não criar coisas para os animais na nossa pracinha – e não apenas para nós mesmos? Podemos instalar comedouros para as aves e insetos, banheiras para os sabiás no alto verão, jardins para as borboletas. Afinal, compartilhamos esse espaço com muitos seres. O olhar da professora Amanda capturou um pouco dessa experiência e dessa beleza nos arredores da escola, que compartilhamos aqui =)

 

 

Anúncios