Sobre ovelhas, lã e muito mais

IMG_7984

Na última quarta-feira, dia 12/11, as crianças do Ensino Fundamental foram visitar uma fazenda de ovelhas e acompanhar uma tosquia! Já haviam escutado várias histórias sobre o tema e o trabalho com croché durante todo o ano tem aproximado a cada um do universo dos fios e das linhas. No Buda Branco, a sabedoria da transcendência nos convida a olhar as transformações que surgem desde o potencial luminoso e livre que permeia a realidade e a todos os seres. Abaixo algumas fotos do nosso precioso passeio =)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ciclo da Água

No mês de outubro, nossos aprendizados olharam de forma especial o ciclo da água. Esse rico tema apoiou nossa vivência da sabedoria da causalidade, na medida em que retrata um ciclo causal presente na natureza. Ao mesmo tempo, foi gerando o ambiente para a chegada da sabedoria da transcendência, que tem destaque no bimestre final do ano.

Em lingua portuguesa, aprendemos sobre a frase e seus tipos, e alguns sinais de pontuação. Também nos debruçamos sobre o gênero Poesia, olhando estrofe, verso e rima. Até porque sintetizamos parte dos conteúdos trabalhados em torno da recitação teatral do poema A Gotinha D’água, da poetiza brasileira Ruth Salles, que conta a trajetória de uma gota de agua e suas muitas aventuras.

Vivendo essas passagens em primeira pessoa através do teatro, como se fossem a própria gotinha, as crianças têm a oportunidade de se envolver afetivamente com esse tema científico.

O registro artístico dos conteúdos aprendidos contribui para isso, além de simultaneamente apoiar o desenvolvimento de outras habilidades nas crianças, buscando uma abordagem integral da aprendizagem, que envolva a mente, as emoções e as mãos. Algumas observações diretas foram feitas e ao final do processo, visitamos um pequeno curso de água brotando nas proximidades da escola.

Hora da leitura

Na nossa sala, as crianças estão cada vez mais soltas na leitura. Além das leituras coletivas, temos tempo para cada um ler individualmente um livro de seu interesse. Fizemos marcadores e continuamos a cada dia do ponto em que cada um parou, e depois vamos trocando as leituras. A alegria maior é o interesse genuíno deles e entusiasmo com suas próprias conquistas =)

Nota

Pessoal,

escrevo para avisar que o minhocário da nossa sala está indo bem! De tanto comer as casquinhas e sobras e frutas do nosso lanche, as minhocas estão crescendo gorduchas e tendo mais bebês minhocas, e a terrinha preta (humus) que elas produzem está aumentando! Em breve poderemos adubar nossos canteiros com esse material.

Falando nisso, nosso canteiro está prosperando, as plantinhas estão “pegadas” e crescendo. Temos manjericão, tomilho, lavanda, hortelã, hortelã miúdo e capim cidreira. Na cerca temos guaco e chuchu, temos regado e acompanhado e tem tudo crescido no seu tempo. Plantamos flores para enfeitar e elas também pegaram e estão alegrando nossos caminhos.

Nas aulas de agroecologia as crianças têm plantado mais coisas, fizeram um canteiro para melancia próximo à rampa da biblioteca.

Devagarinho vamos cultivando nosso espaço com carinho.

como anda o minhocário? e os canteiros?

O ciclo da água

IMG-20141003-WA0005

Queridos,

Após a festa da primavera, iniciamos um novo bloco de conteúdos na nossa turma, e o destaque é para a água e seu ciclo. Neste período vamos olhar com carinho para esse elemento, seus percursos pelo mundo passando por tantos diferentes ambientes como rios, lagos, nuvens, mares, nascentes, e suas transformações. Para isso, estamos acompanhando a história de uma gotinha de água, que tem um nome comprido – Gota de Água Vaporinda Liquefeita Nevasca Cristalina Viajante – e vive muitas aventuras que as crianças acabam vivendo junto.

Estamos tomando este ciclo também como uma imagem significativa da natureza associada à sabedoria da causalidade (pois estamos no bimestre verde) e já criando o clima para a sabedoria da transcendência, sobre a qual vamos nos debruçar no próximo bimestre.

Aproveito para compartilhar algumas canções que têm animado nosso trabalho, são do grupo Palavra Cantada.

 

 

 

 

Minhocário

IMG_20140909_143840 (1)

Estamos acompanhando as plantinhas que plantamos no Nosso Espaço. O chuchuzinho, perto da cerca, está demorando a crescer – diagnóstico do Henrique, que disse: “Profe, acho que não preparamos a terra muito bem. O chuchu continua muito pequeno”. Começamos então a conversar sobre como poderia ser um jeito de deixar a terra mais nutritiva para as plantas. “Cocô de vaca!” – disseram vários! Mas eu trouxe a ideia de que cocô de minhoca também pode servir!! É um adubo muito bom, e as minhocas são mais fáceis da gente criar do que as vacas. Elas podem produzir esse cocô a partir dos restos de frutas que sobram do nosso próprio lanche. No dia seguinte, levei o computador para pesquisarmos juntos sobre como criar minhocas em pequena escala pra produzir adubo. Eu estava também motivada pelo fato de ter ganho um pequeno minhocário caseiro em um balde, de uma amiga da sanga chamada Marize, e já estava com vontade de levar para as crianças conhecerem. A observação do Henrique sobre o chuchu foi então a oportunidade perfeita.

Pesquisamos, assistimos alguns videos no youtube sobre minhocas e minhocários caseiros, e pesquisamos uma forma de começar o minhocário na nossa sala! Em seguida, providenciamos uma caixinha pequena e fizemos juntos todas as etapas do processo.

Já vimos que, comendo frutas, elas se reproduzem muito rápido, então pensamos em distribuir um pouco pra moradores do cebb ou famílias da escola que tiverem interesse de começar um minhocário em suas casas para fazer compostagem também. Vamos ver como esse projetinho vai se desenrolar =)

 

 

Nota

Queridos,

gostaria apenas de informar que temos contado, com muita alegria e muito movimento, agora até 100 e voltando (enquanto caminhamos), também de 10 em 10 até 200 (enquanto pulamos!!) e agora de 100 em 100 até 2.000!
As crianças adoram e esse é um momento de expansão e de mover bastante o corpo. Contamos sempre para cima e voltando (de trás para frente), como forma de “voltar” até o ponto de partida e não deixá-los soltos no infinito, e também como forma de apoiar o raciocínio de subtração, e não apenas de adição.
Seguiremos com essa brincadeira por mais duas semanas, ampliando as contagens, fazendo exercícios de sequencia e proximidade e ditados de números.
Compartilho no caso de alguém se animar de contar brincando com eles também em casa, a partir de alguma situação em que possa surgir a oportunidade.

Números cada vez maiores